sábado, 18 de maio de 2013

4ª carta para o padre João Batista Libânio

Belo Horizonte, 02 de Janeiro de 1994. Estimado companheiro em Cristo Jesus, nosso Mestre e guia. Padre João Batista Libânio, desejo-lhe muito sucesso e paz neste novo ano. A missão de Jesus, iniciada há dois mil anos, merece todo o nosso apoio, dedicação e humildade, por isso ainda irei escrever-lhe esta 4ª carta. Peço antecipadamente desculpas pelo meu desabafo, mas tenho que ser sincero, franco e honesto para dizer que o trabalho, a responsabilidade e o engajamento com a obra salvífica de Jesus são de todos aqueles que se julguem como verdadeiros discípulos de Jesus. A descoberta e divulgação da VERDADE são muito importantes e não posso me omitir. Lendo o Evangelho (os 4 evangelhos e por que quatro?) podemos ver que Jesus enfrentou corajosamente os líderes religiosos da época dele e não teve medo de nenhum deles, mesmo após ter sido sorrateiramente traído por um discípulo e entregue, após um injusto e falso julgamento, ao líder civil para ser condenado a morrer crucificado: a morte dos infames. Aprendemos que “Jesus morreu na cruz para nos salvar”. Mas, como os líderes religiosos e civis continuaram e continuam dando as cartas, pode-se concluir que Jesus foi crucificado por inveja, ciúme e despeito dos líderes religiosos. Estes envolveram por traição um dos discípulos de Jesus e, cometendo muitas injustiças e tramóias, entregaram-no a Pôncio Pilatos e ainda o obrigaram por estratagema para que Pilatos condenasse Jesus a morrer na cruz (vide Mt 27,20 e Jo 19,12 e 15). Esse costume e modo de agir dos líderes religiosos são muito bem conhecidos de todos os que estudam a história das religiões, principalmente no trevoso período do “Reinado Sanguinário da Nossa Igreja Católica Apostólica Romana”. Período este conhecido como: “O Tempo da Inquisição”, sobressaindo o caso da jovem francesa Joana d’Arc, condenada a morrer na fogueira, após ter sido traída pelos líderes civis e, quase 5 séculos depois, foi canonizada em 09/05/1920. Como pode uma pessoa ser condenada como bruxa em 30/05/1431 e depois ser considerada santa? Quem errou? Será que a canonização acabou com as injustiças dos homens e as dores, que a jovem sofreu na fogueira e antes dela, nas prisões e torturas? Ou foi apenas uma canonização política para abafar a vitória de outra crença religiosa? Allan Kardec é francês. O Papa já era infalível e era fácil enganar ao povo francês!!! Padre Libânio, à minha 1ª carta, onde defendi a tese: “DEUS NÃO PERDOA NUNCA” e fiz algumas referências e correlações com a Bíblia Sagrada, o Senhor me respondeu e no fim desejou-me: “muita dedicação à Bíblia”. Enviei-lhe a 2ª carta com a tese, que chamei de: “BOMBA” e o Senhor ainda me respondeu, mas à 2ª carta dedicou-se apenas a frase: “A sua carta revela grande manuseio e conhecimento da Escritura”, e voltou-se a referir ao assunto da 1ª carta. Com relação à 3ª carta, que chamo de: “Joanina”, só houve, até agora, a resposta do silêncio profundo e já faz 165 dias. Por tudo isso pergunto a mim mesmo: “O que realmente existe e acontece? Será que estou errado? Estou entrando ou mexendo na seara alheia? Devo me omitir, fugindo também para o silêncio, com a desculpa da meditação?”. Depois de meditar muito, principalmente nos últimos 3 meses, cheguei a seguinte conclusão: “Enviar a 4ª carta, englobando 2 teses bíblicas”, que são: 1ª - “O Deus Imperfeito da Bíblia ou O Incompleto (ou errado) Ensino Sobre a Bíblia”. 2ª - “As Comunicações Bíblicas entre os Planos Visível e Invisível”. Pe. Libânio, desculpe-me, pois para o Senhor será até chato e cansativo, já que irei relatar e comentar muito sobre trechos bíblicos, retirados da “Bíblia de Jerusalém”. Parece que quero “ensinar o Pai-Nosso ao seu vigário”, mas escrevo não só para o Senhor e sim para muitos outros no presente e no futuro...... Sei desta minha responsabilidade também: “Sou o autor pleno da 3ª carta, pois descobri quem realmente sou e para quê aqui estou”. 1ª Tese: “O Deus Imperfeito da Bíblia ou O Incompleto (ou errado) Ensino sobre a Bíblia”. 1.1 - “À mulher, ele disse: “Multiplicarei as dores de tuas gravidezes, na dor darás à luz filhos. Teu desejo te impelirá ao teu marido e ele te dominará. Ao homem, ele disse: “Porque escutaste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te proibira de comer, maldito é o solo por causa de ti. Com sofrimentos dele te nutrirás todos os dias de tua vida”. E Iahweh Deus o expulsou do jardim de Éden para cultivar o solo de onde fora tirado” (Gn 3,16,17 e 23). Quem condena outros a viverem exilados em dores e sofrimentos, depois de os ter expulsado do Paraíso, não tem amor e uma compreensão infinitos. Esta atitude não pode vir de quem tem amor e compreensão infinitos para dar, de quem é bom e perfeito. Vemos aqui mais uma comprovação da minha “tese Bomba”. 1.2 - “Iahweh arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra, e afligiu-se o seu coração. E disse Iahweh: “Farei desaparecer da superfície do solo os homens que criei - e com os homens os animais, os répteis e as aves do céu -, porque me arrependo de os ter feito” (Gn 6,6 e 7). Quem arrepende é porque não agiu certo e corretamente, quem se aflige é porque não é perfeito, bom e sábio em plenitude. Será que Deus, o perfeito, sábio, onisciente, onipresente e onipotente agiu erroneamente alguma vez ou teve atitudes imperfeitas? 1.3 - “Quanto aos homens que estavam na entrada da casa, eles os feriram de cegueira, do menor até o maior, de modo que não conseguiram encontrar a entrada. Iahweh fez chover, sobre Sodoma e Gomorra, enxofre e fogo vindos de Iahweh, e destruiu essas cidades e toda a planície, com todos os habitantes da cidade e a vegetação do solo! Ora a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal” (Gn 19,11 e 24 a 26). Vemos aqui uma atitude e a ação de vingança de 2 anjos, a destruição de tudo com o poder de Iahweh e a necessidade da obediência absoluta, sem nenhuma liberdade. Essas atitudes são próprias de tiranos, de seus carrascos e frios agentes dos mesmos, mas não podem vir de quem é perfeito e tem muito amor para doar. 1.4 - “Ele retomou: “Não te chamarás mais Jacó, mas Israel, porque foste forte contra Deus e contra os homens, e tu prevaleceste”” (Gn 32,29). Pelo relato bíblico Jacó lutou com o próprio Deus e Deus não conseguiu vencer, então quem lutou não é o mais forte já que não venceu. Quem luta não é compreensivo e nem possui a sabedoria em plenitude, então não é ainda perfeito. 1.5 - “Iahweh disse a Moisés: “Farei vir mais uma praga ainda contra o Faraó e contra o Egito. Então, ele vos deixará partir daqui. E todo o primogênito morrerá na terra do Egito, desde o primogênito do Faraó, que deveria sentar-se no trono, até o primogênito da escrava que está a mó, e até mesmo os primogênitos do gado” (Ex 11,1a e 5). Hoje atitudes como estas são consideradas como “magia negra” e só vêm de quem ainda não é perfeito. Será que Deus, o perfeito, já agiu assim e até e permitiu atos de “magia negra”? Ou antigamente podia e hoje não pode mais, então Deus também se evoluiu e se aperfeiçoou, nesta hipótese então Ele não era tão perfeito. 1.6 - “Dize, pois ao povo, que todo homem peça ao seu vizinho, e toda mulher à sua vizinha, objetos de prata e ouro” (Gn 11,2). Iahweh também aconselhou a agir de uma forma não muito certa, pois disse para pedir, sabendo que o plano era de viajar sem devolver nada mesmo: isto é calote!! 1.7a - Vide os trechos bíblicos referidos na carta de 01/01/1993, nos quais estão muito claros a ajuda e o auxílio de Iahweh a Moisés para guerrear, vencer e matar os inimigos de Israel e de Moisés, incluindo os israelitas, esquecendo-se do mandamento: “Não Matarás” (Ex 20,13 e Dt 5,17). Onde está o erro? O mesmo aconteceu com Josué e outros, como: 1.7b - “Ninguém te poderá resistir durante toda a tua vida, assim como estive com Moisés, estarei contigo: jamais te abandonarei, nem te desampararei” (Js 1,5). Promessa de apoio pleno a Josué, feita por Iahweh. “... e o que fizestes aos dois reis dos amorreus, do outro lado do Jordão, a Seon e a Og, que destruístes totalmente” (Js 2,10b). Acontecimentos narrados em Nm 21,21 a 35 com plena aprovação de Iahweh (Nm 21,34). Isso não é uma prática da perfeição e do amor pleno. O perfeito não age assim e nem permite que os seus ajam deste modo. 1.7c - “Iahweh disse então a Josué: “Vê! Entrego nas tuas mãos Jericó, o seu rei e os seus homens de guerra” (Js 6,2). As ordens de Iahweh foram obedecidas e todos em Jericó foram passadas ao fio da espada, como está escrito em Josué 6,17 a 21. 1.7d - Em Josué 7,1 a 25 vê-se o relato da descoberta e destruição de quem não obedeceu: como “... e a ira de Iahweh inflamou-se contra os filhos de Israel”, e “Que Iahweh, neste dia, traga a desgraça sobre ti!”. E todo Israel o apedrejou (Js 7,1c e 25b). 1.7e - A tomada, destruição e matança de todos em Hai, como se vê em Josué 8,1 a 29. Tudo contrário ao mandamento: “Não Matarás”. A relação dos reis vencidos e destruídos está em Josué 12,7 a 24. “...ao todo trinta e um reis” (Js 12,24b). 1.7f - “No entanto não escutastes a minha voz. Por que fizestes isto? Por isso eu digo: “Não expulsareis estes povos de diante de vós. Serão vossos opressores, e os seus deuses serão uma cilada para vós” (Jz 2,2b e 3). Esta atitude não é digna de quem é perfeito e bom. 1.7g - “E ele disse-lhe: “Segui-me, porque Iahweh entregou o vosso inimigo, Moab, nas vossas mãos”. Eles o seguiram, pois, e cortaram a passagem dos vaus do Jordão e não deixaram passar ninguém” (Jz 3,28). Foram feridos 10 mil homens. Isso não é amor e paz em plenitudes. 1.7h - “Então Iahweh se voltou para ele e lhe disse: “Vai com a força que te anima, e salvarás a Israel das mãos de Madiã. Não sou eu quem te envia?” Então Iahweh disse a Gedeão: “É com os trezentos que lamberam a água que vos salvarei e entregarei Madiã nas tuas mãos”. Destruiu a torre de Fanuel e massacrou os habitantes da cidade” (Jz 6,14; 7,7 a 8,17). Batalhas e vinganças de Gedeão. Quem vinga não é perfeito e nem é intuído por um “espírito bom e perfeito”. 1.7i - “Sansão invocou a Iahweh e exclamou: “Senhor Iahweh, eu te suplico, vem em meu auxílio; dá-me forças alinda esta vez, ó Deus, para que, de um só golpe, eu me vingue dos filisteus por causa dos meus olhos”. E disse: “Morra eu com os filisteus!” (Jz 16,28 e 30a). Iahweh deu forças e condições para vingança e Sansão cometeu o suicídio, matando-se junto com os filisteus. Hoje, quando temos conhecimentos dos atos terroristas, onde o condutor dirigindo um carro-bomba e matando-se juntamente com os inimigos, julgamos ser um ato do “mal” ou errado, mas é semelhante ao acontecimento bíblico, só que este foi feito com auxílio e concordância de “um espírito”. Qual? Será Deus, o perfeito? Não!!! 1.7j - “Golpeou por duas vezes o seu pescoço, com toda a força, e separou a sua cabeça. Tirando a cabeça do alforje, mostrou-a e disse-lhes: “Eis a cabeça de Holofernes, general do exército da Assíria” (Jt 13,8 e 15a). Judite agiu como agem as espiãs modernas, que atraem e subjugam as vítimas pela atração e beleza femininas. Judite matou, tinha o objetivo de matar e dizem que foi protegida por Deus para matar friamente. 1.7l - “....É Iahweh que é Deus!”. Elias lhes disse: “Prendei os profetas de Baal; que nenhum deles escape!” e eles os prenderam. Elias fê-los descer para perto da torrente do Quison e lá os degolou” (1Rs 18,39b e 40). Por intermédio de Elias foram degolados 450 pessoas (1Rs 18,22) e mesmo sendo Elias um representante de Iahweh, ele não agiu certo, pois foi contra ao mandamento: “Não Matarás”. Quem é perfeito e honesto não age com formas antagônicas e quem é bom e sábio não deixa e nem manda matar. Quem é perfeitamente bom e plenamente sábio não age com vingança, não tem sentimentos de ira, ódio e nem causa terror e medo nos outros. Então nos trechos seguintes vemos imperfeições em Deus ou nos representantes de Deus, que a Bíblia nos apresenta: 1.8a - No item 1.3 vemos uma manifestação com vingança e destruição. Hoje em dia qualquer presença espiritual com cheiro de enxofre é considerada como sendo de espíritos trevosos (ou de Lúcifer). Veja a carta da “tese bomba”. 1.8b - “Eis que a mão de Iahweh ferirá os rebanhos que estão nos campos, os cavalos, os jumentos, os camelos, os bois e as ovelhas, com uma peste muito grave” (Ex 9,3). Nada aconteceu aos que pertenciam aos filhos de Israel e isto hoje é conhecido como “magia negra”, o modo de agir dos agentes do mal ou contrários ao BEM. 1.8c - “E Iahweh castigou o povo pelo que havia feito com o bezerro fabricado por Aarão” (Ex 32,35). 1.8d - “A ira de Iahweh se inflamou contra eles. E retirou-se e a Nuvem deixou a Tenda. E Maria tornou-se leprosa, branca como a neve” (Nm 12,9 e 10a). 1.8e - “Iahweh jamais consentirá em perdoá-lo. Pelo contrário, sua ira e ciúme se inflamarão contra tal homem, sobrevindo-lhe toda a imprecação escrita neste livro, e Iahweh lhe apagará o nome de sob o céu. Iahweh os arrancou do próprio solo com ira, furor e grande indignação, e os atirou numa outra terra, como hoje se vê” (Dt 29,19 e 27). Veja que contraste com os ensinamentos de Jesus com relação ao perdão: “... até setenta e sete vezes” (Mt 18,22b) ou setenta vezes sete (outra tradução). Deve-se perdoar sempre. 1.8f - “Mas os filhos de Israel tornaram-se culpados de violação do anátema... e a ira de Iahweh inflamou-se contra os filhos de Israel” (Js 7,1). 1.8g - “Então a ira de Iahweh se inflamará contra vós e bem depressa desaparecereis da boa terra que ele vos deu” (Js 23,16b). 1.8h - “A ira de Iahweh se inflamou então contra Israel e ele disse:” (Jz 2,20a). 1.8i - “Senhor, por todos os teus atos de justiça, afasta, por favor, a tua ira e a tua indignação de Jerusalém, tua cidade e tua montanha santa” (Dn 9,16a). 1.8j - “Iahweh, não me castigues com (em) tua ira (cólera), não me corrijas com teu furor!” (Sl 6,2 e 38,2). 1.8l - “Quem recusa crer no Filho não verá vida. Pelo contrário, a ira de Deus permanece sobre ele” (Jo 3,36b). 1.8m - “Ninguém vos engane com palavras vãs, porque por essas coisas vem a ira de Deus sobre os desobedientes” (Ef 5,6) - “Essas coisas provocam a ira de Deus sobre os desobedientes” (Cl 3,6). 1.8n - “Pois chegou o Grande Dia da sua ira, e quem poderá ficar de pé” (Ap 6,16). 1.8o - “Esse também beberá o vinho do furor de Deus, derramado sem mistura na taça da sua ira; será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos Anjos e diante do Cordeiro” (Ap 14,10). 1.8p - Vemos ainda referir-se em “furor de Deus” no Ap 15,1 e 16,1; “do furor da sua ira” (Ap 16,19); “do furor da ira de Deus” (Ap 19,15) e “Deus lhe acrescentará as pragas descritas neste livro” (Ap 22,18). Resumindo podemos dizer que vemos sentimentos próprios dos imperfeitos referidos a Deus, o perfeito, o bom, o compreensivo e o humilde. 1.8q - “Assim fala Iahweh: “...Minha ira se inflamou contra esse lugar e ela não se aplacará” (2Rs 22,16a e 17b). 1.8r - “Oráculo de Iahweh ao meu senhor: “Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos como escabelo de teus pés” (Sl 190,1; Mt 22,44; At 2,34 e 35; Hb 1,13 e 10,13). O próprio Jesus ensinou-nos para reconciliarmos com os nossos adversários, como também a amar e orar pelos inimigos e perseguidores (Mt 5,25 e 44). É possível conciliar estes ensinamentos com os trechos anteriores? 1.8s - “Então a ira de Iahweh se acendeu contra Oza; e ali mesmo Deus o feriu por causa da sua falta, e ele morreu, ali, ao lado da Arca de Deus” (2Sm 6,7). É inadmissível uma atitude destas para com aquele que apenas segurou a Arca para que esta não tombasse, principalmente vinda de quem é perfeito. 1.9 - “Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu e expirou... No mesmo instante ela caiu a seus pés e expirou” (At 5,5a e 10a). Comportamentos e atitudes como estas hoje são crimes e obras de magia negra. Quem é perfeito não age e não permite ações como estas descritas anteriormente. Como acabamos de demonstrar biblicamente, chegamos ao seguinte impasse: “Ou o Deus da Bíblia era imperfeito e evoluiu ou e ensino sobre a Bíblia está errado ou incompleto; ou ainda os teólogos descobriram o incompleto ensino bíblico e continuam enganando ao povo ignorante”. Como Deus-Pai-Mãe é perfeito, bom, compreensivo, humilde e sábio, então os teólogos ou não entenderam ainda a Bíblia ou nos enganaram e enganam com muitos falsos e deturpados ensinamentos sobre as Escrituras. Tudo isto que está exposto nesta primeira tese confirma também a tese da minha 2ª carta, que chamei de “Bomba”. 2ª Tese: “As Comunicações Bíblicas entre os Planos Visível e Invisível”. Lendo a Bíblia logo pode-se ver perante uma grande e indiscutível verdade: “A constante comunicação entre o Plano Visível e o Invisível”. Existem inúmeras citações desta sintonia, como se pode ver a seguir: 2.1 - “Iahweh Deus chamou o homem: “Onde estás?”” (Gn 3,9). O diálogo entre Iahweh, Adão e Eva está registrado em Gênesis 3,1 a l9. 2.2 - “Iahweh disse a Caim: “Onde está teu irmão Abel?”” (Gn 4,9). O diálogo entre Iahweh e Caim continua até Gênesis 4,16. 2.3 - “Deus disse a Noé” (Gn 6,13). Em Gênesis 6,13 a 9,17 temos vários diálogos entre Iahweh e Noé, com as respectivas orientações para Noé. 2.4 - “Iahweh disse a Abraão: “Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei”” (Gn 12,1). Do capítulo 12 ao 22 do Gênesis temos uma constante orientação de Iahweh a Abraão, Agar e Sara, incluindo diálogos e pedidos. 2.5 - Deus também comunicou com Isaac (Gn 26,24). 2.6 - As vidas de Moisés e Josué narradas no Êxodo, Deuteronômio, Números, Levítico e Josué estão repletas de comunicações com o plano invisível. 2.7 - “O Anjo de Iahweh apareceu a essa mulher e lhe disse: “Tu és estéril..., mas conceberás... não bebas vinho nem qualquer bebida fermentada... Ele começará a salvar Israel das mãos dos filisteus”” (Jz 13,3 a 5). “Então o espírito de Iahweh caiu sobre ele e se apossou dele, e ele desceu a Ascalon, matou trinta homens” (Jz 14,19a). Houve uma constante intervenção espiritual na vida de Sansão, desde o nascimento até a morte. (Vide 1.7l anterior). 2.8 - “Veio Iahweh e ficou ali presente. Chamou, como das outras vezes: Samuel, Samuel” (1Sm 3,10a). O diálogo entre Iahweh e Samuel está em I Samuel 3,1 a 14. 2.9 - “Então a mulher viu Samuel e, soltando um grito medonho, disse a Saul: “Por que me enganaste? Tu és Saul”” (1Sm 28,12). Saul comunicou com o espírito de Samuel, já falecido, por intermédio de uma necromante (atualmente essas pessoas são chamadas de médiuns). 2.10 - “Quando Elias o ouviu, cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da gruta. Então, veio-lhe uma voz, que disse: “Que fazes aqui: Elias?”” (1Rs 19,13). A voz era de Iahweh, vide 1Rs 19,1 a 18. 2.11 - “Respondeu ele: “Se queima o coração ou o fígado do peixe diante de um homem ou de uma mulher atormentados por um demônio ou por um espírito mau, a fumaça afugenta todo o mal e o faz desaparecer para sempre” (Tb 6,8). - “O cheiro do peixe expulsou o demônio, que fugiu pelos ares até o Egito. Rafael seguiu-o, prendendo-o e acorrentou-o imediatamente” (Tb 8,3). Tobias teve como companheiro de viagem o anjo Rafael (Tb 5 a 12). O anjo (um espírito) ensinou ao jovem Tobias a fazer limpeza espiritual e no quarto nupcial, por 3 noites, Tobias seguiu o conselho do anjo Rafael e o demônio foi expulso e aprisionado. 2.12 - “Vi o Senhor sentado sobre um trono alto e elevado. A cauda da sua veste enchia o santuário” (Is 6,1b). “Em seguida ouvi a voz do Senhor que dizia: “Quem hei de enviar? Quem irá por nós?”, ao que respondi: “Eis-me aqui, envia-me a mim”” (Is 6,8). No capítulo sexto de Isaías está relatada a visão, a vocação e a missão do profeta Isaías. 2.13a - “E ele prosseguiu: “Mas estou vendo quatro homens sem amarras, os quais passeiam no meio do fogo sem sofrerem dano algum, e o quarto deles tem o aspecto de um filho dos deuses”” (Dn 3,25). “A inscrição, assim traçada, é a seguinte: “Mane, Mane, Tecel, Parsin”” (Dn 5,25). 2.13b - “Disse então o anjo do Senhor a Habacuc: “Leva a refeição que tens até Babilônia, à cova dos leões, para Daniel”” (Dn 14,34). “Entretanto, o anjo do Senhor imediatamente reconduziu Habacuc ao seu lugar” (Dn 14,39b). Nestas 4 citações vemos a proteção aos 3 amigos de Daniel e a Daniel, bem como a inspiração e ajuda ao profeta Daniel (Vide Daniel 14,33 a 42). 2.14 - “Porque não sereis vós que estareis falando, mas o “Espírito de vosso Pai é que falará em vós”” (Mt 10,20). O mesmo ensinamento está em Mc 13,11; Lc 12,11 e 12; 21,12 e 14 e Jo 14,26. 2.15 - “E eis que lhes apareceram Moisés e Elias conversando com ele” (Mt 17,3). Vide também Mc 9,4 e Lc 9,30. Esse acontecimento foi presenciado por Pedro, Tiago e João, que foram escolhidos por Jesus. E João nada refere-se à transfiguração, por que? 2.16 - “Disse-lhe, porém, o Anjo: “Não temas, Zacarias, porque a tua súplica foi ouvida, e Isabel, tua mulher, vai te dar um filho, ao qual porás o nome de João”” (Lc 1,13). - “O Anjo, porém, acrescentou: “Não temas, Maria! Encontraste graça junto de Deus. Eis que conceberás no teu seio e darás a luz um filho, e tu o chamarás com o nome de Jesus”” (Lc 1,30 e 31). Zacarias duvidou e ficou mudo, quem é perfeito não age assim. Maria confiou, aceitou humilde e nada sofreu. 2.17 - “Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não veria a morte antes de ver o Cristo do Senhor” (Lc 2,26). Simeão foi movido pelo Espírito para ir ao Templo também no mesmo momento da apresentação de Jesus. 2.18 - “Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”” (At 9,4). - “E o Senhor prosseguiu: “Levanta-te, vai pela rua chamada Direita e procura, na casa de Judas, por alguém de nome Saulo, de Tarso”” (At 9,11). No capítulo 9 dos Atos dos Apóstolos temos o diálogo entre Saulo e Jesus (em espírito). A visão com um diálogo entre Ananias e o Senhor e por fim o auxílio dado a Saulo (Paulo) por Ananias. 2.19 - “Apareceram-lhes, então, línguas como de fogo, que se repartiram e que pousaram sobre cada um deles” (At 2,3). O acontecimento de Pentecostes (At 2,1 a 41) foi a manifestação pública do “Espírito Santo” e o início público do cristianismo. 2.20 - “Ele viu claramente, em visão, cerca da nona hora do dia, o Anjo do Senhor entrando em sua casa e chamando-o: Cornélio!”” (At 10,3). - “Sentindo fome, quis comer. Enquanto lhe preparavam alimentos sobreveio-lhe um êxtase” (At 10,10). - “Entretanto, meditando ainda Pedro sobre a visão, disse-lhe o Espírito: “Alguns homens estão aí, a tua procura”” (At 10,19). - “Poderia alguém recusar a água do batismo para estes, que receberam o Espírito Santo assim como nós (At 10,47). Veja que houve um intenso auxílio do Espírito Santo em todo o cap. 10o dos Atos dos Apóstolos. 2.21 - “Apresentou-se um deles, chamado Ágabo, o qual começou a anunciar, por meio do Espírito” (At 11,28a). “Desceu da Judéia um profeta, chamado Ágabo. E amarrando-se de pés e mãos, declarou: “Isto diz o Espírito Santo...” (At 21,10b e 11b). 2.22 - “Pedro saiu e foi seguindo-o, mas não sabia se era verdade o que estava acontecendo por meio do Anjo: parecia-lhe antes uma visão”. Pedro foi libertado da prisão de Herodes com auxílio de um anjo e anjo é espírito (At 12,1 a 19). 2.23 - “Teve um sonho: Eis que uma escada se erguia sobre a terra e o seu topo atingia o céu, e anjos de Deus subiam e desciam por ela” (Gn 28,12). 2.24 - “Ora José teve um sonho e o contou a seus irmãos, que o odiaram mais ainda” (Gn 37,5). “Ele disse: “Tive ainda outro sonho: pareceu-me que o sol, a lua e onze estrelas se prostravam diante de mim” (Gn 37,9b). “Eles lhe responderam: “Tivemos um sonho e não há ninguém para interpretá-lo”. José lhes disse: “É Deus quem dá a interpretação; mas contai-mo!” (Gn 40,8). “De manhã, com o espírito conturbado, o Faraó chamou todos os magos e todos os sábios do Egito, lhes contou o sonho que tivera, mas ninguém pôde explicá-lo ao Faraó” (Gn 41,8). “Então o Faraó disse a José: “Visto que Deus te fez saber tudo isso não há ninguém tão inteligente e sábio como tu”” (Gn 41,39). José do Egito de livre tornou-se escravo e depois, com o auxílio de Deus, vice-rei. 2.25 - “Tive, porém, um sonho que me aterrou” (Dn 4,2a). Leia todo o cap. 4º de Daniel (Dn 4). 2.26 - “Enquanto assim decidia, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se a ele em sonho, dizendo:...” (Mt 1,20). “Avisados em sonho que não voltasse a Herodes,” (Mt 2,12a). “Após sua partida, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se em um sonho a José e lhe disse...” (Mt 2,13a ). “Quando Herodes morreu, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se em sonho a José, no Egito,” (Mt 2,19). Jesus foi protegido imensamente pelo plano invisível, por meio de sonhos, enquanto era criança e indefeso. Por estes trechos vê-se que pelos sonhos também haviam muitos avisos, comunicações e auxílios do plano invisível para com o plano visível em todo a história bíblica. Lendo, estudando e compreendendo todas estas passagens bíblicas conclui-se que a comunicação entre os dois planos é uma grande verdade e realidade, sempre ocorreu em toda a história relatada na Bíblia Sagrada. Se essas comunicações foram verdadeiras, por que negá-las hoje? Se não são verdadeiras, então a Bíblia está cheia de enganações e falsidades! Mas para mim foram e são verdadeiramente reais, e até hoje, como para sempre serão puras e sublimes verdades. Por que existem membros da hierarquia eclesiástica que consideram, hoje em dia, qualquer comunicação como algo errado ou do mal? Principalmente se forem em lugares ou ambientes não católicos. Se a comunicação foi feita a membros da Igreja, enquanto estavam entre nós, foram vigiados com extrema rigidez e desconfiança por Roma e depois de mortos foram canonizados como santos!! Como se isso abrandasse a passada tortura física ou mental, como as dores da fogueira e como todo tipo de perseguição. Por outro lado se a comunicação foi feita ou é feita a pessoas não católicas a Igreja, representada pela sua hierarquia eclesiástica, considerou como heresia ou erro e ainda considera como errado ou mesmo fraude. Esquecem os sábios teólogos do exemplo e conselho do sábio e humilde Gamaliel, que disse: “E não aconteça que vos encontreis movendo guerra a Deus” (At 6,39b). Volta a repetir o que escrevi sobre a Bíblia no início da carta Joanina: “Apaga tudo o que aprendeste sobre a Bíblia Sagrada, mas não a jogueis fora, guarde-a muito bem mesmo, pois a Bíblia é uma fonte inesgotável de ensinamentos e sabedoria”. Terminando esta, digo: “A grande dificuldade para descobrir, encontrar, compreender, divulgar e viver a VERDADE é a falta de humildade de muitos, que se julgam os senhores absolutos da verdade e que foram escolhidos por Deus para falarem em nome de Deus, como também representarem Jesus para os outros, mas estes foram escolhidos e aceitos por uma estrutura muito humana mesmo. Estes ainda julgam que sabem tudo e não podem aprender com os escolhidos por Deus...”. Para defender esta idéia cito a própria Bíblia: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e doutores” (Mt 11,25a). Padre Libânio, desejo-lhe muita paz, felicidade, luz e que o “Espírito Santo” nos ajude a encontrar e compreender a VERDADE, que liberta.... Rosário Américo de Resende

Nenhum comentário: